Screen Shot 2020-02-17 at 17_25_01.png

sobre

Na papelaria - estúdio de design de Fabiola e Christian Pentagna , como o nome já evidencia, o papel tem protagonismo. Mas não se trata de usá-lo

como suporte para o trabalho, ele se expressa como arte contida em si; uma matéria-prima que se transforma em matéria criativa por dobras, cortes, formas e cores.

 

Com uma abordagem observadora e investigativa, a dupla manifesta intenções sobre as superfícies para compor poesias não-escritas, vontades

se tornam tridimensionais como nas mãos de um escultor. Em cada trabalho a delicadeza do material é realçada pela abordagem minimalista,

reflexo de um redesenho obsessivo para se alcançar a potencia máxima da mensagem com a menor quantidade de elementos ou distrações. 

 

Ao fim o gesto permanece, ora pelos encaixes ou cortes precisos que criam geometrias; ora pela fluidez das curvas e a sobreposição de camadas.

Em ambas aplicações do papel o que fica evidente é a provocação do imaginário, ao qual outros materiais podem somar, como o vidro, o acrílico

e o couro. Eles servem de receptáculos à ideia ou suportes com uma funcionalidade clara: proteger; realçar a mensagem de cada criação. 

 

Dividido em dois eixos complementares: o design de embalagens e as esculturas/ objetos, o trabalho da papelaria explora sensibilidade e também inovação. Pode ser pelo uso inusitado em mobiliário ou acessório de moda, ou mesmo pelo auxílio da tecnologia, como em superfícies à prova d’água; junto de uma consciência sustentável para reativar cada corte ou recorte e tratar o material com uma nobreza longeva. 

 

Assim como um pergaminho (produzido a partir do couro), suas peças possuem um aspecto de resistência que cria uma experiência única de permanência.  Nos convidam à reflexão sensível de um material rico em história e que muitas vezes passa veloz por nossos olhos e nossas mãos.  

 

 

                                                                                                                                                                                                                 Bruno Simões

processo

O processo criativo se inicia em uma conversa para o entendimento dos objetivos e expectativa de cada projeto. Depois seguimos para a organização dessas informaçoēs em uma espécie de texto/manifesto para que ele nos permitir seguir em frente numa criação coesa. Em seguida apresentamos o produto propriamente dito sendo ele um projeto grafico ou protótipo para validação e ajustes desejados. E por fim a produção em escala

Contate-nos

Obrigado por enviar!